7 de janeiro de 2010

Sempre valerá a pena um dia a mais...

Vivemos cercados por tragédias. Grandes, do tipo que envolvem famílias, bairros ou até cidades. Pequenas, do tipo que envolve um amigo, um vizinho ou um parente. Sorte a nossa quando uma tragédia acontece e podemos pensar "graças a Deus que não é comigo". Isso não é ser egoísta, e só, ser humano, e sentir medo e se sensibilizar com a dor.

A dor. Sentimento que pode virar uma vida do avesso, pode nos fazer regredir ou progredir como pessoas, depende de como a gente a vê. Mas não é fácil encarar a dor de frente, não é fácil sequer viver se pensarmos que ela pode ser dura e que é eminente. Como viver tranquilo sabendo que a tristeza pode estar logo ali, na esquina? Pois nós vivemos, pelo menos, a grande maioria de nós.

Esperamos sempre que a dor seja uma coadjuvante, ofuscada pelo brilho da felicidade, nossa artista principal. A felicidade sempre traz consigo algum outro sentimento, isso quando não traz um misto de muitos. Momentos felizes. São os momentos bons que tivemos, temos e ainda teremos, que nos fazem aceitar as tragédias e a dor.

Aconteça o que acontecer, a vida sempre valerá a pena.

8 comentários:

Jacque disse...

Ah, tenho dito e não recolho nenhuma palavra: "A vida vale cada segundo". Eu conheço de dores, as piores que possam existir, nem por isso desisti de acreditar na vida e nas pessoas. Seu texto me fez lembrar algumas coisas, e uma delas, é saber que foi exatamente na dor que conseguir ter ainda mais vontade de viver essa vida louca, mas maravilhosa!

Excelente texto, como todos que aqui leio. Obrigada pelo comentário no meu último texto, eu também vejo a saudade como algo positivo. Sentir saudade realmente nos faz acreditar que a falta daquele amor de antes é a constatação de que ele é, e sempre foi nosso de verdade.


Recolha as asas, para receber o meu abraço, que é sincero de verdade.

leonel disse...

Minha vida é por toda marcada a faca a fogo, a qualquer dor desgraçada, a uma garrafa de vinho quebrada, a poesia não terminada, a velho vinil arranhado que nem mais toca, a frase que se cala, ou, que morre na boca, a palavra sustentada, sem voz como rouca.

Algumas me vêm à lembrança, com o pender de minha cabeça sobre o teu texto: “A vida é bela”, “felicidade são momentos”, “dor não mata, ensina”, “poesia e vida nunca são demais”... Mas, eu balanço a cabeça pq desses retalhos eu não mais preciso. Por algum tempo, me foram subterfúgios de mim mesmo. Agora, apenas são cacos quebrados, vidro esmerilhado, que em minhas mãos viram matéria-prima, para tantas obras ainda mais bonitas na vida. E se me perguntas agora se por trás de quem escreve existe o talhe de um renomado artesão, digo-te apenas que sou alguém como tantos outros a aprender que não são as lágrimas a fazer um coração bater.

Sigo rumando à felicidade. Quem quiser que venha comigo. Não garanto que nas rosas não existirão espinhos, mas afirmo que já não mais estará sozinha, e, que meus braços serão os caminhos a percorrer, quando as lágrimas resolverem o teu rosto também percorrer.

Abraços de um mortal.

Luís Gonçalves Ferreira disse...

Acerca do sofrimento e da vida em geral (sim, porque a vida é dor, mesmo que não queiramos assim), Fernando Pessoa, na Mensagem, diz:

Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.

Acho que é esse espírito épico, de luta, de bravura e de coragem que deve pautar a vida do homem-comum. A vida tem de tudo. Só temos que dar valor ao espelho de Deus no Mar e não ao abismo que ele personifica.

Um beijo, Angel.

Bia Monteiro disse...

Concordo em numero, genero e grau...
Viva intensamente... permita-se!
Bjoss
=)

Angel disse...

Jacque, fico muito feliz quando alguém se identifica com o que escrevo, sinal de que não estou sozinha em nenhum dos meus sentimentos, sejam eles quais forem. Isso de certa forma me conforta.

A vida nos oferece lições diárias, e fica meu desejo de que tenhamos sempre a vontade e a sorte de aprender.

Abraços, minha cara!

Angel disse...

Sabe leo, a vida me pareceu mais simples quando aprendi a aceitá-la, o que não quer dizer que me conformo com ela. Há muitas pedras em nossos caminhos, há muito o que aprender, e devemos usar do que nos foi ensinado para melhorar o que somos e temos. Todos mudamos, reescremos e nos adaptamos, e o que posso dizer é: "que bom".

Façamos nosso melhor, isso já será de grande valia!

Abraços!

Angel disse...

Luís:

"Só temos que dar valor ao espelho de Deus no Mar e não ao abismo que ele personifica."

Sua frase resume tudo. Por trás de toda dificuldade há de exister um alento, seja ele como for.

Abraço, meu caro!

Angel disse...

Bia, obrigada pela visita!

Reforço seu conselho: vivamos intensamente cada minuto que nos for dado, porque ele é raro, é valioso e nunca mais o viveremos!

Abraços!

Postar um comentário