18 de janeiro de 2010

Porque quando a gente muda o mundo muda com a gente.*

Pouco dormi. O coração ainda está acelerado, o aperto no peito não passou e o enjôo dá sinais de que irá me acompanhar o dia todo. Conheço essa sensação, sei bem o que ela quer me dizer. Um misto de urgência, de raiva e de tristeza. E eu estou cansada de sentir isso, cansada, porque o desgaste emocional é imenso. Preciso entender, de uma vez por todas, que uma mudança se faz necessária, e principalmente, que a mudança deve começar em mim, por mim, e que mais ninguém pode me ajudar. O pior vai ser dar os primeiros passos, tenho medo, porque dá-los envolve perder muito mais do que a falta de coragem para mudar. Será que consigo? Será que sou assim tão forte? Preciso ser. Ou vou acabar enlouquecendo.


*trecho da música "Até Quando", de Gabriel Pensador.

9 comentários:

Jacque disse...

Eu tenho a opinião bem particular no que diz respeito a mudanças. Todas as vezes, que tentei "mudar" vi que nada adiantava. Eu pensava: "Poxa, por que não consigo? O que há?" E isso ocorria não só comigo, mas com as pessoas que eu conhecia também. Comecei a perceber que meu pai não mudava, minha mãe e nem meu irmão, ou até amigos...

Foi então que aceitei todos eles como realmente eles eram. Só que eu deveria aceitar como eu era também, e saber que tudo que me incomodava, poderia ser excluido, não de maneira fácil, mas, com muito esforço. Pensei em ser mais paciente, menos ansiosa. Tentei aprender a ouvir, não me envolver tanto por coisas as quais eu sabia que não era eu que iria resolver. Tudo isso, não foi em vão. Eu melhorei o que estava me incomodando, a partir daí, o mundo melhorou comigo. Eu continuo agitada, às vezes , ouço e ainda me preocupo com as pessoas, só que agora, em uma dose muito menor.

Aquela agonia, deu espaço a uma paz interior, eu me vi como sou, cheia de defeitos, mas, com uma vontade enorme de melhorar tudo isso. Eu não acredito em mudanças, por experiência própria mesmo, mas acredito na capacidade de auto-conhecimento... Jamais iremos perder a essência do que somos! Uma das coisas que fiz para melhorar minha agonia irremediada por algo que eu nem sabia o que era, foi me imaginar em situações de extremo sofrimento, me ver no lugar de pessoas que não tem perspectivas, nem oportunidades... Não porque não há, mas por elas que não se dão conta da capacidade que carregam. E eu posso tanto, e às vezes, me sentia vazia. Então, cara Angel, penso sempre: "Ei, Jacque, não deixe de ser o que é, mas procure ser sempre o melhor de você"

Então, hoje, em oração peço a Deus sabedoria para aprender a ser paciente e não me curvar diante do fato que devo mudar para agradar. Aprendi a me vingar do mundo, sendo apenas feliz. Quanto as forças? Você nem imagina a força que carrega na alma. Vá sem medo! Isso não é algo relativo. Isso é regra geral, Angel!

Saiba, o primeiro passo é reconhecer que a melhora deve ser em nós mesmos, assim, como você está fazendo.

Enfim, é isso...

Um abraço do tamanho do mundo pra você!

Jakeline Magna disse...

Não conhecia está musica...
interessante, mesmo tendo um ar tristonho

boaaa semaninhaaaaaaa angel...

Angel disse...

Ei, Jacque, agradeço as palavras! Estou aqui pensando em cada uma delas, acredite.

Obrigada.

Abraços.

Angel disse...

Jakeline, ótima semana para você também, minha cara!

Abraços.

Viviane Zion disse...

"Pouco dormi. O coração ainda está acelerado, o aperto no peito não passou e o enjôo dá sinais de que irá me acompanhar o dia todo. Conheço essa sensação, sem bem o que ela quer me dizer. Um misto de urgência, de raiva e de tristeza. E eu estou cansada de sentir isso, cansada, porque o desgaste emocional é imenso."
V
V
V
Se eu lesse isso no meu blog não seria menos verdadeiro, levando em consideração o meu estado. Já disse que muitas vezes, lendo os seus posts, a sensação que tenho é que vc parece descrever, com riqueza de detalhes a aparência da minha alma. É estranhíssimo! Principalmente porque para mim é como se eu estivesse me olhando no espelho e vendo uma imagem indesejada... justamente aquilo que eu não queria ver - nem sentir.
Tens razão. Ando triste. Muita coisa ao mesmo tempo, a fase é bem delicada mas de alguma forma tenho encontrado algum apoio no blog (suas palavras são preciosas, obrigada) - e escrever é uma das minhas válvulas de escape.
Uma pessoa disse, certa vez, que essa coisa de blog é pra gente triste e deprimida. Não sei. Não tenho conclusões a respeito. Mas de qualquer forma tem sido bom "viajar" nas palavras e sentimentos através de cada postagem.

Grande abraço carinhoso.

Shalom.

Luís Gonçalves Ferreira disse...

Tenho muita dessa insegurança neste momento da minha vida. O problema é que sinto-me a mudar, interiormente e para os outros sem querer que tal aconteça. É estranho. É preocupante. E tudo treme dentro do peito.
Não estou em condições de aconselhar nem dicertar sobre mudanças. Ainda não arranjei a minha receita, daí não puder partilhar aquilo que não conheço.
Certo estou que a mudança acontece para nosso bem. Em todos os sentidos. Estou é num momento em que a positividade ainda não surgiu.

Beijo, Angel.

Angel disse...

Viviane, a fase é complicada, mas, é isso, uma fase. Vai passar, para nós duas. Acredito que temos momentos em nossa vida que são cruciais, onde estão envolvidas grandes decisões, grandes passos, grandes mudanças. É o universo nos convidando ao crescimento, dando-nos a chance de evoluir enquanto pessoas. Não sei o que seremos amanhã, se melhores ou piores, mas certamente, seremos mais fortes. Eu e você, venceremos os desafios, sejam eles quais forem.

Gosto muito do seu blog, sinto forte essa identificação que temos. Se cuida, minha amiga, e mando-te mais uma vez uma carga grande de energias positivas!

Abraço.

Angel disse...

Luís, leste meus pensamentos? Acho que enquanto você comentava aqui, eu estava lá, comentando em seu blog. Agradeço sua presença, mesmo que não tenha palavras para me oferecer. Muitas vezes nos basta saber que não caminhamos sozinhos, mesmo que quem caminhe ao nosso lado não saiba o que nos dizer.

Força, meu caro!

Abraços.

Luís Gonçalves Ferreira disse...

Foi muito engraçado isto que aconteceu. É esta a réstia de magia das palavras e das redes sociais.

Um enorme obrigado e uma imensa força!

Abraços

Postar um comentário