8 de janeiro de 2010

E aos problemas, o que dizer?

Sabe quando algo foge ao seu controle, tira você da sua zona de conforto e acaba prejudicando toda a sua vida? Uma briga com a família, um trabalho que não deu certo, um relacionamento que acabou... Coisas que acabam com a gente e fazem o mundo parecer sem conserto. E quando isso acontece, o que fazer? Se recolher, se dar um tempo? Reclamar? Chorar? Buscar os amigos, cair na noite? Ou simplesmente, nada?

Não há uma fórmula mágica para lidar com isso, cada um é cada um, e deve se conhecer ao máximo para saber o que é melhor. Mas é certo que devemos aceitar e de algum jeito seguir em frente. Nessas horas fica difícil acreditar, mas isso passa. Pode ser que as coisas não voltem a ser como antes, pode ser que a gente não encontre nada como aquilo que perdeu. Se a família não for mais a mesma, que fique ao menos o aprendizado daquilo que ocorreu. Pode ser que um trabalho ainda melhor apareça, que um novo amor seja ainda mais intenso e verdadeiro.

Vale a pena acreditar no melhor. Vale a pena acreditar que o equilíbrio se reestabelece, porque mais cedo ou mais tarde, é isso que acontecerá.

E no mais, deixo aqui a matemática básica da minha vida:

Intenção - Ação = Nada.

O que seriam dos momentos bons se não houvessem os ruins para glorificá-los?

6 comentários:

Juliana. disse...

Ah, os problemas fazem parte da vida..talvez se eles não existissem tudo seria perfeito demais ao ponto de não haver objetivos, sonhos!!
Expressivo texto!!

Bjos

Jacque disse...

A vida não teria a mesma graça se tudo fosse sempre flores, isso é fato! O equilíbrio sempre se reestabelece disso jamais duvidei, mesmo sendo eu insconstante que sou. É... e tudo segue seu curso, como deve ser.

Eu amei o seu texto!

Abraço, Angel!

Angel disse...

É sim, Juliana! Se não soubéssemos o que é ruim, não reconheceríamos o que realmente é bom... E aquele papo que já conhessemos: crescemos diante dos problemas, mesmo que só um pouquinho...

Abraços!

Angel disse...

Jacque, gostei disso... "O equilíbrio sempre se reestabelece disso jamais duvidei". Isso acontece, e que bom que acontece.

Abraços, minha cara!

P.S.: Tudo bem por ai?

Jacque disse...

Angel... Devo ser sincera comigo mesma e com as pessoas. Eu não estive nada bem. Por dias, andei fora do prumo, desconcertada, perdida... Então, questionei uma pessoa que poderia me ajudar de fato a encontrar o rumo certo: "Eu". Perguntei a mim mesma: "Ei, Jacque não se preocupe em pensar que foi insuficiente pra alguém. Ninguém é insuficiente. Somos necessários na medida certa. Mesmo assim, eu precisava de uma resposta, porque não consigo muito bem administrar "confusões", porque eu mesma sou um tanto confusa. Então, minha cara, fiz uma viagem no íntimo do meu ser e encontrei-me mais uma vez. Me vi triste, desamparada, jogada lá num cantinho com lágrimas nos olhos, dei-me a mão e sorri pra mim mesma... Ah, e quer saber, eu sou mesmo alguém incrível (modesta,rs). Ah, Angel, devemos mesmo nos amar de fato, sermos egoístinhas de vez em quando! Resultado: Tô bem demais! Sabe por quê? Simplesmente porque ainda acredito, mesmo que me façam coisas que me levem a não mais crer em nada, eu sou bem mais que qualquer desilusão. Eu agradeço demais a sua preocupação, você realmente faz juz a qualidade de anjo. Cuida aí de mim, tá bom? Cuido de ti também, acredite!

Recolha mais uma vez as asas, quero um abraço demorado...

:)

Angel disse...

Jacque, que prova de maturidade e sabedoria você me deu! Fico feliz em ver como você lidou com um momento ruim... Isso é inspirador! Deixo aqui meu carinho e meu sincero desejo de que essa fase boa dure para sempre! E, Jacque... Precisando "conversar", estou por aqui... não sou perfeita, posso não ter as melhores palavras sempre, mas, tenho um enorme coração, sempre disposto a ajudar quem precisa dele...

Abraço carinhoso!

Postar um comentário