28 de fevereiro de 2010

Posso tentar uma definição...

Sou umas poucas palavras que não fraseiam com perfeição. Não há sequer um verso, nem um reles esboço de prosa, não há linhas, tinta, papel. O que há então? Perguntariam-me a tempo. Não sei, talvez um vazio, uma imensidão. E das poucas palavras, o que faz? Uso como escudo, como arma, talvez abra uma ferida, ou fale de amor e faça uma bela declaração. Mas as palavras mais preciosas são tão poucas que eu tenho medo de gastá-las, de ficar sem elas, e estar fadada a nunca mais escrever amor, carinho, paixão. Isso iria doer, eu sei. E não me diga que um pouco de dor fortalece o coração. Ser forte assim eu não quero, porque nem toda a força do mundo haveria de curar minha decepção.

Então me deixe ser assim, imperfeita, um alguém sem qualquer definição. Se ninguém me definiu, não há o que me prenda então. Não quero ser eternamente o mesmo texto, nem um conjunto de rimas, bonitas ou não. Eu poderia agradar uns poucos leitores ou muitos talvez (me desculpe a pretensão), mas eu não quero para mim a responsabilidade de agradar ninguém, porque eu nasci desagrado, não só satisfação.

Se você quer tanto me escrever de algum jeito, diga ai neste seu texto que eu sou um emaranhado de letras, rebeladas, despretensiosas, escreva ai, em negrito e sublinhado, que em meio a regra, eu preferi ser a exceção.

24 comentários:

Juliana. disse...

Nos traduzir em palavras é tão dificil, e dizer quem somos..nossa..acredito que as palavras não conseguem atingir o nosso eu perfeitamente! Mais tentamos!
Um abraço Angel!

Angel disse...

Pois é, amiga Juliana, somos complexos demais... As vezes me pergunto se ao final da minha vida, que espero ser longa, eu vou conseguir me definir de fato, me conhecer totalmente.

Enfim... Nos cabe tentar, bem colocado!

Abraços!

leonel disse...

Que maravilhosa prosa poética me sou brindado esta noite! Tu demonstras a cada dia um novo gênero, um apuro na escrita, sempre tão bem talhada, com tanto carinho, emoção... impossível não se deixar levar por tuas palavras, e, não desejar lê-las mais e mais...

E das definições, afasta-te delas. Não haveria uma só palavra que pudesse definir a ti. Sempre ficaria um tom de ... reticências.

Um beijo!

Angel disse...

Ei, Leo, obrigada pelas considerações! Vindo de você, que domina com tamanha perfeição a escrita, só posso ficar feliz, e dizer que suas palavras me emocionam.

Como bem disse a Juliana, não acredito que podemos nos definir, acho que somos complexos demais... E eu então... as vezes sinto que há um milhão de anjos em mim... rs.

Aprendo muito com você, saiba disso. E se escrevo hoje, é porque um dia você me incentivou a fazê-lo

Beijo, leo.

leonel disse...

Angel, Angel, se existe alguém a constantemente aprender, este alguém sou eu, contigo. Não me canso de aprender, primeiro com a tua afável gentileza, depois, com a tua humildade. Mas, não são somente nestas matérias que eu aprendo. Tu consegues extrair o que há de melhor nas pessoas. E estas não são palavras minhas, tu bem sabes.

A escrita sempre esteve em ti, adormecida. Não a deixe dormir mais. Não mais.

Beijos, Angel!

Angel disse...

Exagero, Leo... (não seria eu se não dissesse isso, não é mesmo?). Obrigada por isso, de verdade. Parece demagogia, mas, fazer algo pelas pessoas me faz muito bem. As vezes não consigo, outras vezes faço alguma besteira... mas eu sempre tento.

Você me conhece há anos... Sabe o quanto eu mudei. Escrever me faz bem, nem sempre o faço bem, se é que realmente faço, mas, é libertador, eu diria.

Beijo, Leo...

Jacque disse...

Em questão de definição, cá estou eu, um ser indecifrável. Alguém que amo muito sempre diz que as pessoas "indecifráveis" são certamente as mais interessantes, pois estão sempre despertando interesses... Bem, posso até acreditar que assim seja. O bom mesmo é gostar do como somos e aceitar que mesmo com nossas imperfeições estamos aí pra aprender. Aprender certamente a ser melhores. Sobre você, só tenho a dizer que és única e admirável. Siga mesmo imperfeita, errante... todos somos! Só resta seguir.

Um beijoooooooooo!

P.s: Desculpe não comentar com a frequência de antes, eu estava ocupadaça, agora tô tranquila. Ah, li seus outros posts e adorei!

Angel disse...

Ei, Jacque, quanto tempo! Mas imaginei que estava ocupada, até pela ausência de posts no seu blog. O que você disse é verdade, isso de ser "indecifrável" dá um ar de mistério, é ser alguém que está sempre surpreendendo.

No mais, nos aceitar, como você disse.

Gostei muito do seu comentário!

Abraços, Jacque. E obrigada pelo carinho.

Mary disse...

Seu blog é maravilhoso. parabéns
mary

Angel disse...

Poxa, Mary, obrigada! Gostei muito do seu também!

Abraços, e volte mais vezes! Será um prazer tê-la por aqui.

Reyel Angel disse...

Querida, que belo texto! Somos o que somos, nem mais, nem menos.

Agradeço sua visita. Seja sempre bem vinda, viu?
Vou acompanhar aqui tbm.

Bjos na alma!

José disse...

Angel,vim agradecer o teu comentário, gostei do que la disseste. Quem escreve assim não fás um amaranhado de palavras, mas sim escreve muito bem e sabe o que diz.
Todos aprendemos uns com os outros, mas há pessoas com quem a gente aprende mais, e dessas eu quero estar mais perto e por isso vou seguir
o teu rasto.

um beijinho,
José

Carol Addams disse...

Seus posts são tão inspiradores, gostaria de escrever assim!
Parabéns, flor!
Beijos

Davie disse...

Uma definição de si mesma?
É quase impossivel fazer isso :)

Gostei imenso do texto!

Thiago Gacciona disse...

Nos definir talvez seja uma das coisa mais difíceis de fazer. Por isso quando os outros nos mostram como realmente somos, muitas vez ficamos impressionado,ou até mesmo. com raiva ou chateados.

Enfim, ótimo texto e com frases bastante impactantes.

Beijos!

Angel disse...

Oi, Reyel. Obrigada pelo carinho, e saiba que será sempre um prazer tê-la por aqui!

Abraços.

Angel disse...

José, estou sem saber como agradecer ao seu comentário... Muito obrigada pelo carinho, pelas palavras. Acredito que aprendemos uns com os outros vida a fora, e tenho encontrado tantas pessoas especiais nestes últimos tempos que só posso ficar agradecida. É incrível como há coisas belas a se ler no mundo dos blogs, como há pessoas capazes de fazer o sentimento se tornar palavras, de confrontar o mundo, de enxergá-lo de diferentes maneiras. Estar perto de tudo isso, e ter pessoas que de alguma maneira se identificam comigo, é algo único.

Gostarei muito de sua presença por aqui, eu, com certeza, estarei sempre lá no seu blog!

Abraços.

Angel disse...

Carol, muito obrigada! Mas ora, você escreve muito bem! Gosto muito do seu blog.

Obrigada pelo carinho, é importante pra mim.

Abraços.

Angel disse...

Verdade, Davie, e como eu disse à Juliana, não sei se um dia vou conseguir me definir totalmente (e acho que com todos nós é assim, não sei). Mas, será que uma definição é importante? Vai saber, não é...

Obrigada pela visita! Fico feliz que você tenha gostado do texto, porque eu adoro o seu blog! Gosto da sinceridade dos teus posts, você é muito autêntico, e escreve muito bem.

E vi agora que você escreve no Letras no Caminho também, sempre leio o que vocês postam lá.

Abraços, e espero que volte mais vezes.

Angel disse...

Thiago, você disse algo que achei bem interessante. Se não conseguimos nos definir totalmente, talvez os outros sejam capazes de fazê-lo. Ou pelo menos, são capazes de apontar coisas em nós que não enxergamos. E nos conhecer pode ser cruel, principalmente quando descobrimos que não somos o que achávamos que erámos.

Feliz que você tenha gostado, é sempre bom tê-lo por aqui!

Abraços.

Pedro Antônio disse...

Bacana o texto. Definições? Esqueça. Podemos ser uma nova pessoa a cada dia, melhor e mais madura. Mais forte e mais repleta de amor.

Parabéns.

Um beijãooo.

Pedro Antônio

Angel disse...

É isso, Pedro Antônio! Por que precisamos ser uma coisa única se podemos ser várias ao mesmo tempo? Melhor ainda é quando percebemos mudanças positivas... como olhar para o passado e ficar feliz com o que nos tornamos, enxergando, diante disso, tudo o que ainda podemos ser!

Abraços, e obrigada!

ErikaH Azzevedo disse...

“(...)Estou tentando te dizer como cheguei ao neutro e ao inexpressivo de mim. Não sei se estou entendendo o que falo estou sentindo e receio muito o sentir, pois sentir é apenas um dos estilo do ser(...)"
.
A paixão segundo GH – Clarice Lispector



Desculpai-me mas vou continuar a falar de mim que sou meu desconhecido, e ao escrever me surpreendo um pouco pois descobri que tenho um destino. Quem já não se perguntou: sou um monstro ou isto é ser uma pessoa? Quem antes afiançar que essa moça não se conhece senão através de ir vivendo à toa. Se tivesse a tolice de se perguntar “quem sou eu?” Cairia estatelada em cheio no chão. É que “quem sou eu?”Provoca necessidade. E como satisfazer a necessidade?
.
Quem se indaga é incompleto.

Clarice Lispector, em a Hora da Estrela

“(...)Qualquer entender meu nunca estará à altura dessa compreensão,pois viver e somente a altura que posso chegar - meu único nível é viver. (...)"
.
A paixão segundo GH – Clarice Lispector

pra que comentar com palavras minahs se a Clarice consegue mais do que eu a mim mesma, mas do que eu a vc, nos ler.

Bjo flor.

Erikah

Angel disse...

Erikah, Clarice Lispector deu palavras a tudo o que muitas mulheres são e sentem. E como você bem disse, para que comentar? Somos isso, pensamos assim.

:)

Abraços, minha amiga.

Postar um comentário