21 de fevereiro de 2010

Só queria dizer...

Vontade de olhar nos olhos e dizer “eu te amo”...

Alguém mais está sentindo falta disso, por ai?

Não me digam que vivemos sem amor... Não vivemos. Sem amor nós sobrevivemos, isso sim.

14 comentários:

Juliana. disse...

Sim sim é verdade, sem amor não vivemos, precisamos deste sentimento para nos sentirmos bem e para caminhar nestas estradas cheias de espinhos da vida! E como dar e receber um "eu te amo" é bom...rsrs
Um grande abraço Angel

Angel disse...

Juliana, sabe que me vejo em todos os seus comentários? Acho que somos parecidas, duas apaixonadas pela vida, crentes no amor! rs.

E isso é bom.

:)

Abraços, amiga Juliana!

Luís Gonçalves Ferreira disse...

Ninguém vive sem amor. E todos precisamos de um "amo-te". Não o oferecido gratuitamente, mas o sentido. Os amo-te vazios de sentir são inúteis porque não preenchem nada. Uma coisa tenho a certeza: Tens direito aos genuínos. Disso não tenhas dúvidas.

Beijooooo

Angel disse...

Esse mesmo, Luís. Um "eu te amo" que faz o coração disparar no peito, o ar faltar por alguns segundos, o sorriso vir sem a gente nem sentir que veio. Um "eu te amo" sentido até a alma...

Obrigada pelo carinho...

:)

Abraços mais que carinhosos!

RaH disse...

Sim, é verdade.
E quantos "eu te amo" já não ouvimos e até dissemos pensando ser realmente amor, para depois descobrir que era apenas uma paixão passageira?
Mas mesmo assim foram ditos com sinceridade, pois naqueles momentos, pensávamos ser amor.
E quantos por aí não são sinceros?

Falta amor no mundo.
Mas não só amor amante.
Falta amor em todos os sentidos.

Obrigada pela visita.

BeijO

Pedro Antônio disse...

Que lindo, Angel!

Muito obrigado. O seu comentário me deixou superfeliz! Tenho certeza de que um dia você terá filhos lindos e será uma honra pra mim saber que são meus leitores.

E sobre o amor, precisamos sem dúvida dele! Mas ele chega pra todo mundo, às vezes quando a gente menos imaginar.

Um beijãooo pra você!

Pedro Antônio

Angel disse...

RaH, infelizmente sim, falta amor no mundo. Acho que as pessoas se amam em demasia, e deixam de amar ao próximo. Mais ou menos isso...

Um "eu te amo" sincero é sempre um "eu te amo", mesmo que depois, lá na frente, ele mostre não ser.

Agradeço, também, a visita!

Abraços.

Angel disse...

Pedro Antônio, pois eu fiquei mesmo imaginando a cena que descrevi para você... E achei tão lindo isso. Acho tão bacana o que você faz... Parabéns pelo reconhecimento!

E sobre o amor, tem esse detalhe, não é a gente que faz o momento, é ele.

Abraços!

Sumie disse...

Hoje em dia falta amor no mundo.
Bjs!

Angel disse...

E como falta, Sumie...

Abraços!

Viviane Zion disse...

Hummm... sinto falta!

,,,õ.O,,,

Não, não sinto falta! Quero dizer... sinto falta e não sinto falta ao mesmo tempo; a minha fase atual não é de arroubos de romantismo. Tô cuidando bem dos meus canteirinhos de jiló e cactos plantados entre os pulmões, no lugar onde um dia esteve um coração... Entenda como brincadeira séria o que estou escrevendo!
"EU TE AMO" não é coisa que se diga em palavras - principalmente quando as atitudes não acompanham o que sai sorrateiramente dos lábios em momentos em que estamos envolvidos e apaixonados... Da última vez que "ouvi" essa frase, a atitude seguinte da pessoa que me disse foi a de ir embora, se afastar de mim. Não sei se eu é que dou burra ou se as coisas deste mundo estão mesmo de pernas para o ar mas "eu te amo" não combina com "até nunca mais"... Por isso hoje, quanto menos palavras, melhor, se a companhia estiver: presente, intensa, vívida!
(...)
Esses dias presenciei uma cena interessante: tem um professor de Inglês, meu colega de trabalho, que é um cara extremamente sério e ético no trato com as suas alunas. Daí que uma menina rasurou uma prova e colocou, junto com as respostas (substitutas) um bilhetinho todo carinhoso pedindo pra ele considerar as questões e talz... No finalzinho do bilhete uma confissão: adivinha... EU TE AMO! Ele me mostrou sorridente e perguntou o que eu achava. Respondi: - Eu acho, fih, que EU TE AMO hoje é a frase mais clichê que existe quando uma pessoa quer conseguir arrancar alguma coisa da outra!
Ele riu. Depois perguntei se ele consideraria as respostas, diante dos apelos da moça. - Jamais! - ele respondeu enquanto rabiscava com vontade a prova e assinava embaixo do merecido ZERO atribuído.

Acho que é isso!

Beijocas, anjinha. Tenha uma linda semana!

Angel disse...

Viviane, fiquei aqui pensando sobre o seu comentário... Realmente dizer "eu te amo", para muitas pessoas, é como dizer qualquer outra coisa. Parece que um "eu te amo" virou moeda, do tipo que você dá na intenção de ter algo em troca, alguma entrega, alguma aceitação, um pseudo-compromisso. Não acho que seja a palavra em si, não é só no "eu te amo" que as pessoas tem mentido ultimamente. O egoísmo impera e vale tudo para conseguir o que se quer, ao menos, é o que me parece. Vale dizer "eu te amo", vale dizer "nossa, quanto tempo, senti sua falta", ou ainda "você está tão linda hoje". Acho triste isso, de verdade, manipular sentimentos em prol de si mesmo é uma atitude deplorável.

Ainda acredito no "eu te amo", sabe... Aquele sincero, que reune tudo o que a pessoa significa para você. Por si não basta, é verdade, é preciso haver companheirismo, respeito, carinho, ser amigo, amante, ser confiável. E quando a gente tem alguém assim, dá uma vontade enorme de dizer à pessoa o quanto a gente gosta...

Adorei seu comentário, Viviane! Me fez pensar em coisas que ainda não tinha pensado.

:)

Abraços, minha amiga!

P.s.: Pontos para o seu professor! Galera da universidade anda impossível mesmo, tem feito de tudo para se dar bem (não só pessoal da graduação, mas, como disse lá em cima, todo mundo anda meio assim...).

Jacque disse...

Eis uns versos de Drummond sobre o amor:

Amor é o que se aprende no limite,
depois de se arquivar toda a ciência
herdada, ouvida. Amor começa tarde...

Hoje, eu sei que amo, não mais por depender do amor, mas, por sentí-lo em plenitude e, principalmente em verdade. A verdade do amor não é fazer dele algo pra vida toda. Eu não acredito mais em coisas que morreram e nem no que pode acontecer amanhã. Eu vivo o amor de agora, o concreto. Mas, isso é a vida! As pessoas pensam demais no ontem e demais no amanhã. E o hoje? Ele acaba sempre tão rápido... Eu sigo acreditando em minhas verdades e naquilo que me faz bem. Não creio que o amor faça algum mal, ou abandona, ou renega...

Não tornei-me insensível por pensar assim, pelo contrário, sinto-me viva! Digo "eu te amo" de maneira intensa e apaixonante. Deveríamos cultivar mais as paixões, pois, são elas que nos movem. Quando somos apaixonados por algo, isso nos mantém esperançosos, felizes, vívidos...

Amor + paixão= equilíbrio

Quero deixar entendido que tudo que digo, me refiro ao amor romântico. Por que o amor de fato, o "universal", o que não espera nada em troca, esse sim, anda em falta no coração dos homens, infelizmente. Muitos perderam o temor de Deus, e Deus é amor.

Enfim, eu penso assim.

Abraço carinhoso, Angel!

Angel disse...

Jacque, se todos vivessem mais o hoje e menos o passado e o futuro, acho que seríamos todos felizes! É complicado não pensar no amanhã, eu procuro priorizar o presente, pois realmente não consigo não esperar, pensar, desejar, o futuro. Quanto ao passado, concordo plenamente que o melhor a se fazer com ele é guardá-lo.

Cultivemos todos o amor! Que não tenhamos medo ou vergonha de dizer um "eu te amo". Conheço pessoas que nunca disseram isso para seus pais, irmão, me dizem que nunca ouviram isso, que não se acostumaram a ser assim. Pois então que tal tentar? Faz muito bem ao coração da gente.

Lindo comentário, Jacque!

Abraços.

Postar um comentário