6 de maio de 2010

Do que talvez só eu possa ver...

Apesar de ser um homem feito você ainda é um jovenzinho, um menino a descobrir a vida. Você contrariou a natureza e aprendeu a falar antes mesmo de dar seus primeiros passinhos, se aprimorou em rimas e versos e se apoderou das palavras com a ânsia dos grandes. Dedicou-se tanto às letras que não sei se aprendeu a andar direitinho, te vejo relutando a cada passo, os olhinhos assustados, perninhas frágeis, por vezes tropeçando e indo ao chão sem que consiga evitar a queda. Tantas vezes te vi levantar em silêncio, olhos molhados, se esforçando para não chorar. Tantas vezes te ouvi dizer “está tudo bem”, quando na verdade, não estava. Até que um dia você chorou, e eu percebi que o menino não só tropeçava, como todos os outros meninos que caminham pelo mundo, mas que ele também sentia, e que dentro dele havia um vazio grande que o machucava, que fazia doer. O menino me mostrou um coração que mal cabia em seu peito, e que ele teimava em esconder. O menino tem medo da vida, o menino tem medo de morrer. Ele erra, acerta, o menino precisa crescer, e caminhar, e aprender que não pode fazer sofrer, nem aos outros, nem a ele, e que atos tem conseqüências, que tudo o que plantamos haveremos de colher. O menino precisa se libertar, se abrir ao mundo, o menino precisa da paz que existe no caos, o menino só precisa viver.

F.A.L

14 comentários:

PR" disse...

Belo texto! :D

Angel disse...

Obrigada!

:)

Abraço!

Desabafando disse...

Acho que isso é uma coisa que faz parte da vida de todo mundo né? não apenas desse menino. Todos temos nossos altos e baixos, nossos tropeços, nossos sentimentos.

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Que bonito esse texto, a visão de um homem adulto e sua eterna criança interior, que tem medo, sofre, não sabe, se perde, chora por atenção e carinho.

Excelente.

Angel disse...

Flor, a vida é assim e nunca vai mudar. Esperar caminhar tranquilo, sem nunca cair, é utópico mesmo... Mas, por sorte, a gente tem a capacidade de levantar, né?!

Abraço!

Angel disse...

Ahh, Alexandre... Obrigada. É exatamente isso que eu quis passar com o texto, e fico muito feliz que você tenha gostado.

Abraço!

Bleeding_Angel disse...

Parece q esse menino sou eu, me identifiquei com kda palavra sua.
Bjos colega de nuvem.

Meri Pellens disse...

E não só os meninos, as meninas tbm.
Bjok.

Franzé Oliveira disse...

A lâmina nua,
Um corte,
Uma dor lancinante.

Luz fria da lua,
Reflete o sentimento,
Morto.

Um som sem voz...

Sangue,
Cessação definitiva da vida,
A morte.

Priscila Rôde disse...

Que ele viva sem esquecer do menino que existe dentro dele!


Lindo, Querida!

Angel disse...

Que bom, meu coleguinha de nuvem! Esse texto foi escrito com muito carinho, pegue um pouquinho deste carinho para você, então!

Abraço, amigo anjo!

Angel disse...

Com certeza, Meri. Estamos, todos, aprendendo a caminhar pela vida, caindo, levantando, mas nunca desistindo!

Abraço, minha amiga!

Angel disse...

Franzé, obrigada por deixar o poema.

Abraço.

Angel disse...

Priscila, que ele cresça, e que o menino seja guardado, jovenzinho, no coração. Como disse você.

Abraço, flor!

Postar um comentário