7 de abril de 2010

O amor que liberta

Quando nos encontramos aquele dia faltaram-me as palavras para te descrever. Logo eu, que sempre sonhei fazer poesia quando o amor me encontrasse, não soube criar uma rima que fosse quando você me olhou. Daquele momento lembro-me de três coisas: do meu coração acelerado no peito, da vontade de rir e de chorar ao mesmo tempo quando você correspondeu, e de Mario Quintana sussurrando em meus pensamentos que “naquele dia fazia um azul tão límpido, meu Deus, que eu me sentia perdoado pra sempre não sei de quê”. Porque ali, naquele momento, mesmo sem saber, você me perdoou, meu amor. Me perdoou por todos os sentimentos que cultuei antes de você aparecer, por ter desdenhado do amor pensando que ele só me faria sofrer, e você me perdoou porque sabia que nenhum dos elos que tive seria comparado ao que estava me unindo a você. Vivi a vida em penitência, meu amor, e o seu perdão me libertou.

17 comentários:

A Moni. disse...

Esse encontro é a própria poesia!
Muito lindo, Angel...O encontro, o sentimento, o texto...
Assim seja!

Obrigada pela visita, pelo comentário e pela tua interpretação.

Beijos!

leonel disse...

O amor, a uns liberta. A outros, sangra, e, faz doer. Mas, há aqui também uma questão de escolhas. Uma questão que nos remete a qualquer outra coisa que eu não consigo por enquanto entender, nem com palavras explicar. O amor desperta. Um sorriso. Ou uma lágrima.

Parabéns pelo post, Angel. E pelo amor que te brindou.

Angel disse...

A Moni, fiquei feliz com sua constatação, obrigada! E se você agradece pelo comentário que fiz em seu blog, eu agradeço pelo belo texto que você escreveu, e que me fez divagar em pensamentos.

Abraços, minha cara!

Angel disse...

Leo, o amor por vezes é ambíguo, e desperta os mais diferentes sentimentos. Infelizmente, o amor não é sinônimo de felicidade plena, e trás consigo algumas dores que devemos enfrentar se realmente o queremos. Não escolhemos quando e quem amar, escolhemos apenas mostrar esse amor ou não. Quem escolhe esconder fica a cargo do tempo, que faz esquecer ou não.

Obrigada pelo carinho, leo.

E, aproveito seu comentário para dizer, não só à você mas a todos que aqui vem, que mudei um pouco a essência do blog, e disse isso na descrição, logo abaixo do título. Nem tudo que aqui está, e estará, escrito, será um retrato fiel de mim ou do que me foi vivido. Um pouco de sonho, um pouco de realidade, acredito ser esta uma boa definição.

:)

Marcelo Mayer disse...

perdoar é fazer um poema sem métrica, sem regra, sem retórica!

belo! belo é te ler!

Wevertton disse...

Realmente, nem adianta "ensaiar" quando estamos perto de quem amamos... tudo foge!! HAHAHAHA

Beijos. Passa la =)

Juliana. disse...

O amor é um eterno sentir de momentos, o perdão faz parte sempre dele! O amor envolve o pulsar acelerado do coração, o sorrir, o agradecer a Deus pelo ser amado, pelo amor!
Que lindas palavras Angel, belas! Um beijo minha amiga!

Angel disse...

Ahh, obrigada meu querido amigo músico! Saudades de você, as vezes passo pelo msn e não te encontro.

Abraços!

Angel disse...

Wevertton, chega a ser constrangedor... rs. Mas isso não é de todo ruim, acho até que é um dos "temperos" do amor.

Abraços, meu caro, e saiba que já passei pelo seu cantinho e vi suas considerações sobre o inverno. Maravilhosa estação!

Lou Alma disse...

Vi o o blog no sitio da Erikah e chamou a minha atenção e estava certa, lindo o seu texto, sentido. Gosto de coisas assim, sentidas. Passa pelos devaneiosdeloucura.blogspot.com pode ser que gostes.Parabéns pelas palavras.

Angel disse...

Obrigada, Lou Alma. Fico feliz que tenha vindo me fazer uma visita, seja bem-vinda, e volte mais vezes!

Te farei uma visita também, com certeza.

Abraços.

Mary disse...

O amor é lindo. parabéns!!!

Angel disse...

Concordo plenamente, Mary! O mais lindo dos sentimentos.

Obrigada pelo carinho.

Abraços!

Meri Pellens disse...

Amiga! Q texto lindo! Qdo encontramos o amor e somos correspondidos, as palavras fogem, porq o momento em si já é a poesia pura.
Bjo grande!

ErikaH Azzevedo disse...

O amor nos liberta sim ..de todo mal....nos cura d equalquer dor..nos mostra uma nova vida, muito além daquela que tinhamos, uma que sequer imaginavamos...e eu até me arrisco em dizer, só nascemos mesmo qdo nasce em nós a historia de um grande amor.

Menina angel minha, tão bom te ver assim, apaixonada, escrevendo com alma, sendo toda coração.

bjos minha menina, que Deus sempre te presenteie com sentimentos assim.

Erikah

Angel disse...

Meri, obrigada, minha querida! Concordo, amiga, encontrar o amor já é a própria poesia, talvez a mais bonita que nossa vida há de escrever. É o amor que dá as mais belas cores à vida, impossível não pensar assim.

Abraços, minha amiga!

Angel disse...

ErikaH, eu penso exatamente como você. Acredito no que o amor pode fazer por nós, acredito que ele nos renova, leva embora as antigas dores e nos faz renascer. Sofremos por amor tantas vezes na vida... mas, isso não abala o sentimento de jeito algum, continua sendo o que queremos, ainda o buscamos, porque a felicidade proporcionada por ele é maior e supera qualquer sofrimente que por ventura venha.

Sou mesmo uma apaixonada, amiga ErikaH, daquelas que sai pelo mundo procurando por quem posso me ajudar a descobrir e viver bons sentimentos... E que Deus NOS presenteie, todos, com sentimentos assim!

Obrigada pelo carinho.

Abraços, minha querida!

Postar um comentário