19 de abril de 2010

Na ilusão das palavras e na realidade dos gestos

Eu tento fugir de palavras bonitas, tento acreditar que elas não são únicas e que já foram muitas vezes ditas. Eu tento não pensar a respeito, não imaginar como seria estar ao lado, e conversar, e ter mais palavras, todas elas, juntas, e só minhas. Tento não pensar no beijo, no abraço e em tudo o mais. Tento não fazer planos, não procurar a compatibilidade dos defeitos, não enxergar todas as qualidades. Eu tento, e raramente consigo. Mas por sorte, ou por azar, as palavras são lindas, mas os gestos... nem tanto.

16 comentários:

Jacque disse...

Angel, esse é o mal das palavras, serem lindas, perfeitas e dizerem sempre o que queremos. Elas tem esse infinito poder. Quanto aos gestos, esses sim, são os que valem, não importa se forem lindos ou feios, o que importa é que através deles (os gestos) a única maneira de sabermos certas verdades.

Um abraço sincero.

Desce Mais Um! disse...

As vezes é mais confortável ficar nas palavras apenas

Angel disse...

Jacque, palavras podem até enganar, mas gestos... estes não enganam nunca. Talvez por isso sejam infinitamente mais valiosos que as palavras.

Abraços!

Angel disse...

Não há dúvidas, é mais confortável! Mas enquanto apenas palavras nos serve...

Agradeço a vista, e espero que volte mais vezes!

Abraços.

Por que você faz poema? disse...

A palavra é forte, poderosa, uma grande arma que ditadores e profetas usaram (e usam). "O que quer e o que pode essa lingua"?

Desabafando disse...

É difícil às vezes fazer com que as palavras sejam compatíveis com os gestos e atitudes.

Angel disse...

Nem me fale, poeta, nem me fale...

Abraços!

Angel disse...

Desabafando, eu concordo com você, por vezes a dificuldade vai além da nossa compreensão, mas... infelizmente, o que conta são os gestos, acho eu.

Abraços, flor!

Menina disse...

Flor, você escreve tão bem!!
Acabei ficando horas por aqui!

Tou seguindo!!

Bjos!

Angel disse...

Menina, fiquei imensamente feliz com o seu carinho... Que bom que você gostou do blog, espero mesmo volte mais vezes, será um prazer ter você por aqui!

Abraços!

leonel disse...

Teu post me fez lembrar Machado de Assis, quanto ao velho colóquio de Adão e Eva. Nenhuma palavra rompida no silêncio. E olhos que se entregavam, e, se diziam tudo. Conversas assim, sem o calibre de uma palavra sequer, são as que ficam, marcam... e tem lá as suas vantagens de não se desbotarem com o tempo.

Aprecio compulsivamente o poder das palavras. Mas, não me distancio do saber que há coisas que as palavras não conseguem, e, jamais conseguirão dizer.

Beijo de um mortal.

Angel disse...

Leo, acho que seu comentário complementou muito bem o meu texto. O que dizem os olhos é mais preciso que qualquer juntar de palavras. Eu acrescentaria, então, ao meu pensamento, que mais importante que palavras, são os gestos e o fitar dos olhos...

O que acha?

ErikaH Azzevedo disse...

As palavras só são lindas qdo carregam verdade, e qdo ela resplandece beleza assim vale a pena manter-se sempre acompanhada delas...mas se são elas verdades inventadas ou até mesmo mentiras, acho bem melhor estar sozinha.

Qdo nao compreender a palavra , capte as entrelinhas, e as entrelinhas do que se diz está no que se faz, no jeito de ser e de agir.

Menina das palavras transparentes, um beijo pra vc.

Erikah

leonel disse...

Belo aditivo, Angel! Olhos são incapazes de esconder o sentimento.

Angel disse...

Com toda certeza, leo...

Angel disse...

Amiga ErikaH, ainda me perco nas entrelinhas, por vezes... Mas estou ajustando isso, calibrando a percepção, porque palavras bonitas todo mundo pode dizer, mas fingir um sentimento é pra poucos, e não dura muito tempo.

Abraços, flor!

Postar um comentário