29 de abril de 2010

Das dores da vida

A dor no peito há muito não cedia, era como se algo lhe comprimisse o tronco, estrangulando o coração já tão fraco que mal batia. O corpo já não era o mesmo, carregava as dores de uma existência, sofria de noites insones e olheiras profundas, carregava um rosto sem vida a denunciar, aos gritos, uma alma muda. Mas aquele sofrimento era singular, tinha a certeza de que, antes, o sentiu apenas uma vez em toda a sua vida. Seria saudade? Solidão? Seria a falta daquele que a muito não via? Dor de amor é coisa séria, mataria aos poucos se não descobrisse a cura. Buscou médicos, apelou à psicologia. Já cansada de incertezas procurou a avó, calejada, que muito da vida já sabia... O diagnóstico? Nem amor, nem saudade. Idade. Tinha ganhado uma pneumonia.

32 comentários:

Marcelo Mayer disse...

agora há tempo para ficar só, ficar de frente a frente com ele mesmo. suas mentiras, verdades, desejos... na doença temos paz.

Jakeline Magna disse...

que pneumoniaaaa cheia de não me toques...
angel adorei o post... bjssssssssss

Jacque disse...

Lembrou-me Drummond, rs!

Fantástico! Eu queria escrever assim!

Você é talentosa, Angel, muito talentosa. Tem a perspicácia dos grandes além de ser extremamente sensível.

Um abraço sincero!

Metamorfoses disse...

É parece-me menos preocupante que a dor do amor, afinal indo ao especialista há remédios... e as dores do coração onde achar medicamentos??rs

A Moni. disse...

Mesmo com a identidade sentida pelo sentimento inicial, adorei o bom humor do desfecho...

Muito bom e inteligente!

Beijos!

Meri Pellens disse...

Ops! Pneumonia tbm é sério, mas acho que cura-se melhor q dor de amor.
Bjos na alma, amiga!

Desabafando disse...

Achei tão meigo esse texto..rsrsrs..adorei! Apesar de falar de dores, ficou de um jeito descontraído.

Angel disse...

Marcelo, uma visão interessante a sua. É fato que com o tempo nossas prioridades mudam, e enxergamos o mundo e nós mesmos de uma outra maneira. Se haverá paz? Isso eu não saberia dizer...

Abraço, querido músico!

Angel disse...

rs... Jake, realmente! Acho que as dores não trouxeram uma boa lembrança. Sorte ou azar, eram apenas lembranças.

Feliz que tenha gostado!

Abraço.

Angel disse...

Jacque... não exagere, viu?! Mas, tá bom, vai... amigo de verdade incentiva! rs.

Brincadeira. Muito obrigada pelo carinho, Jacque, de verdade, é sempre muito importante pra mim a opinião de pessoas que tanto admiro. E se alguém escreve bem aqui, esse alguém é você.

Abraço, linda Jacque!

Angel disse...

Metamorfoses, eis que visão mais positiva para uma pneumonia não haveria de ter! rs. Concordo.

Abraços, flor!

Angel disse...

Moni, era exatamente essa a idéia do texto... Fico feliz que tenha gostado!

Abraços!

Angel disse...

Meri, sem nenhuma dúvida... Logo, logo ela já estará ótima! Se fosse amor... sei não.

Abraços, amiga!

Angel disse...

Desabafando, fico muito feliz em saber disso! É para ser assim mesmo, mostrar que há dores, muitas vezes tão singulares para nós, mas que algumas coisas nem são como pensamos, que é preciso levar a vida com bom humor... Enfim.

Obrigada, flor!

Abraço.

Juliana. disse...

Angel..acho que tem amor disfarçado de pneumonia ai não?!?
Mais tudo bem..rs

Mais amiga, já viu que mesmo os jovens, a idade não compensa, é dor pra todo lado, eita vida..rs

Um abraço Angel

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

ahahaha parecia um relato tão apreensivo de um sentimento. E vc pega a gente com esse final surpreendente. Muito bom!

E que ela se recupere!

Angel disse...

rs... Ju, adorei "já viu que mesmo os jovens, a idade não compensa, é dor pra todo lado, eita vida". Concordo demais!

E... Vai saber se não há um amor enrustido por trás dessa pneumonia, não é mesmo? Dizem que antigamente as pessoas morriam de amor... frente a mortes, o que é uma pneumonia? rs.

Abraços, amiga!

Angel disse...

rs... Alexandre, a vida é mesmo uma caixinha de surpresas, não é?! E que bom que é assim!

Obrigada pelo carinho!

Abraço.

Nívea disse...

haha mei esse tom de poesia meu anjo...

peneumonia que vem com a idade tem cura com medicamentos, ervas e um pouco de repouso...
mas quando a dor é mesmo solidão, saudade e amor... complicado achar a solução...


beijos

Angel disse...

Nívea, realmente, a pneumonia foi mesmo uma sorte! rs.

Feliz que tenha gostado, flor!

Abraço.

Pedro Antônio disse...

KKKKKKKKKKKK!

Não é pra rir não, mas eu ri. Achei engraçado. Criou o maior clima e...

KKKKK

Beijãooo, Angel!

Pedro Antônio

Priscila Rôde disse...

Que sorte, não?

Angel disse...

Ahh, Pedro Antônio, é pra rir mesmo... rs. A vida fica mais leve assim.

Abraço!

Angel disse...

Priscila, ao menos tem cura. Sorte!

Abraços, flor!

karone disse...

Ótimo...uma acidez que se equlibra com o drama...a propósito muito obrigado Angel pela visita, estou tentando caminhar na escrita, apesar de preferir as crônicas estou me aventurando nos contos...mas falta muito mesmo...rs

Angel disse...

Obrigada, Karone! E, foi um prazer conhecer o seu blog, gostei muito da leitura, pois realmente adoro crônicas, contos... O seu caminho está mais do que certo, e você já o está trilhando muito bem!

Abraços.

Daniel disse...

Antes uma peneumonia do que sofrar de amor. Pode ter certeza disso.
Beijos

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

Na canção há tempos da Legião Urbana Renato Russo canta todas as dores conhecidas, teu texto me ser para ser lido ao som de Há tempos

Angel disse...

Daniel, antes uma pneumonia! Ao menos essa se cura...

Abraço, meu caro!

Angel disse...

"Parece cocaína, mas é só tristeza..."

Que boa lembrança, Ediney! Esta música é uma poesia, como tudo o que cantou Renato Russo.

Abraço, meu caro! E volte mais vezes!

ErikaH Azzevedo disse...

Coração é forte né, aguenta bem sofrer , mas o pulmão parece que não.Se nao houver doentes enem doenças não haveria remedios pq não se precisaria de cura...sonho com o dia que amar seja só balsamo enão esse misto de balsamo e dor. Algumas pessoa já vivem esse sonho, e é o viver este sonho que desejo a vc.

Bjos minha flor.

Erikah

Angel disse...

Ahh, minha amiga... E eu desejo tanto isso à você também! Algumas pessoas tem sorte, encontram outras que "encaixam perfeitamente", e são felizes, apesar do dia-a-dia.

Um dia chego lá... rs.

Abraço, flor!

Postar um comentário