20 de abril de 2010

Das vezes em que morri...

É chegada à hora, não há mais tempo e ninguém será capaz de impedir. A morte está próxima, tão próxima que é possível senti-la respirando em você. Não tenha medo. O coração bate cada vez mais fraco, então aproveite, sinta que está acabando, sinta a vida sendo tirada de você. Pronuncie as últimas palavras, olhe em volta e guarde essa imagem antes de ir. Ouça o silêncio. Sente? Acabou. Seu coração parou de bater. Agora se levante e veja o que sobrou, mas seja breve, isso não vai durar muito tempo. Feche os olhos e relembre o que te fez morrer, desde o início, cada detalhe do caminho que te trouxe até aqui. Não parece inevitável? Percebe que nada mais fazia sentido ali? Não se culpe, na verdade não há culpados, e eu sinto que agora você já é capaz de aceitar.

Então vá, e sinta seu coração voltar a bater. Aos poucos, uma vez... duas... inversamente como ao morrer. Abra os olhos e veja que você está no mesmo lugar, mas que tudo mudou. Consegue perceber que você não é mais o mesmo? Tenho certeza que sim. A sua frente está um novo caminho, então, siga-o. Ele irá se dividir, talvez mais de uma vez. Escolha. E sabe o que acontecerá se você fizer uma escolha errada? Você irá morrer, exatamente como agora. E isso acontecerá quantas vezes for preciso, quantas vezes tiver que acontecer. Aceite e agradeça. Haverá um momento em que sua vida será tirada de fato, mas até lá, sempre que for preciso, morra, para logo depois, renascer.

Às vezes é preciso que uma parte de nós morra, para que possamos voltar a viver.

26 comentários:

Desabafando disse...

Forte e profundo esse texto mas eu acho que podemos sofrer, ir até o fundo do poço mas que não necessariamente uma parte de nós precisa morrer pra renascermos. Acho que é uma morte simbólica de algo que era precioso e não existe mais mas não é algo que vai deixar de existir totalmente dentro de nós não?

Cria disse...

Maravilhosa postagem, poeta amiga ! Um beijo e o desejo de um feriado feliz.

Wlad Machado disse...

Lindo, lindO! Mandou muito bem! =D
bejoka!
wlad.

Sumie disse...

Angel me identifiquei completamente com seu texto,tem uma parte de mim que precisa morrer e eu estou lutando contra isso,mesmo sabendo que é a coisa certa...
Bjs!

Angel disse...

Flor, você disse muito bem, é uma morte simbólica, de algo que precisa ir, que já não faz sentido alimentarmos. Acredito que há uns momentos na vida da gente que são cruciais, quando a gente descobre que por aquele caminho já não dá mais para ir, que não estamos bem por ai, que não nos tornamos o que gostaríamos. Por sorte, sempre podemos começar, ou simbolicamente, renascer.

Ou mais ou menos isso... rs.

Abraços, querida flor!

Angel disse...

Cria, obrigada! E você sempre me dando um título que eu acho que não mereço... mas adoro ouvir! rs.

Bom feriado pra você também!

Angel disse...

Wlad, que bom! Fico muito feliz que você tenha gostado, querido amigo! Ainda mais, porque sou uma admiradora de seus textos.

Abraços!

Fabi Paranhos disse...

Bom dia menina angelical!

Saudade de passear meus olhos por aqui, aos poucos estarei voltando com minhas visitinhas.

Mas sobre teu escrito...que interessante a forma que tu falas sobre as constantes mortes que acontece na vida!

Lembrei um pouco da minha vida, das mortes pelas quais precisei enfrentar, das escolhas que fiz, dos caminhos que mudei para não "morrer" ou "morrer" menos vezes. E nas vezes que morri, como renasci.

A verdade é que por cada morte enfrentada, renasci com mais vida, e uma vida surpreendentemente melhor, mais bela,forte, vigorosa e saudável.

Sinto uma força interior gigante dentro de mim, creio que vem da minha vontade de ser feliz, e de fazer as pessoas felizes também, por isso, creio eu, que todas vezes que passei pela "escuridão" à caminho da morte, eu tinha certeza, que do outro lado, a vida iria me tomar com força e me colocar de pé, no caminho certo e ilumindado outra vez.

Obrigado pela reflexão que provocaste em mim. Continuas escrevendo muito bem!!!

Obrigado também pela tua última mensagem em meu antigo blog, estou voltando "novinha" em folhas rs
Meu novo blog está quase pronto, creio que até o final da semana estará no ar.

Um carinhoso abraço e tenha um ótimo feriadão!

Angel disse...

Sumie, e como esse momento é difícil... A gente sabe que já não pode mais levar algo adiante, mas não gostaria de abandoná-lo. Sei bem o que é isso... Me faz bem pensar, nestes momentos, que o que virá depois pode ser ainda melhor, ou pelo menos, que levarei comigo as lembranças de algo que um dia me fez bem... Sei lá, difícil, né?

Abraços, e obrigada pelo carinho!

Angel disse...

Fabi, quanto tempo! Estive em seu blog há um bom tempo, vi que você se despediu, que iria parar um pouco para logo voltar. Fico feliz que esteja voltando, então, organiza tudo lá e volta logo que é sempre bom ler você também!

Fabi, você complementou lindamente o meu texto. Foi essa idéia de morte que eu tentei passar, que por vezes é impossível fugir dela, por mais que possa doer, mas que renascemos mais fortes, mais sábios, e só por isso tudo o que passamos já terá valido a pena.

Obrigada pelo carinho e pelas palavras.

Abraços!

leonel disse...

Fato, Angel! O crepúsculo de um momento é a alvorada de um novo ser. Muitas vezes, eu mesmo defendi a morte do que não compensa, para que pudéssemos continuar a viver. E creio mesmo que tenha de ser assim, pq senão o que não produz começa a criar profundas raízes, e, ramificações tão densas que impedem de ver o que pode haver adiante.

Beijos de um mortal.

Angel disse...

Leo, é exatamente isso... Gostei muito do que você disse, sobre criar raízes que nos impeçam de querer, ou mesmo de conseguir, ir adiante. Morreremos inúmeras vezes durante nossas vidas, e com certeza renasceremos mais fortes, mais plenos.

Beijos, leo.

Erica Vittorazzi disse...

'o que a lagarta chama de morte, o mestre chama de borboleta'.

Juro que faço este exercício que você descreveu tão lindamente. Já morri tantas vezes...

beijos

Barbara Galvão disse...

Faz friozinho aqui de vezzz enquando e minha sorte é ser friorenta rsrs Qualquer ventinho ja to amando *___*

Obg pela visita flor. Seu blog como sempre arrasando e os posts maravilhoso!

Beijos

Angel disse...

Erica, é difícil aceitar que é preciso, mas depois de tudo, é fácil ver que foi necessário.

Obrigada pelo carinho! Abraços, minha amiga.

Angel disse...

Barbara, é esse o mal de quem vive sob um sol escaldante o ano inteiro (eu vivo), desejar o friozinho que raramente chega. Sei o que isso! rs

Eu que agradeço o carinho, flor!

Abraços.

ErikaH Azzevedo disse...

... E eu que morro tantas vezes , só pelo prazer de renascer.

Destino de feniz temos né...

E em cada renascimento mais compreensão, mais sabedoria, mais força, maior capacidad de luta...mais fé.

Não é vivendo que se cresce , é morrendo que se cresce...somos maior do que eramos a cada renascer.

Lindo menina anjo...

Um beijo

Erikah

carol sakurá disse...

Maravilhoso!
Estou vivendo exatamente isto.
Beijos!

Angel disse...

Sem dúvida alguma, amiga ErikaH! Por isso faz tanto sentido morrer... renascemos mais belos.

Obrigada, minha amiga!

Abraços.

Angel disse...

Carol, fico feliz que tenha se identificado com o texto. Que a morte seja breve, então, e que o renascer seja pleno.

Abraços, querida amiga, e obrigada!

Bleeding_Angel disse...

Havia uma frase em um blog gotico q dizia assim:
"As vzs eh preciso morrer pra renascer novamente"
E acho q eh por ai, lembro q uma epoca eu era chamado de fenix, de tantos infortunios q passei, cai e renasci das cinzas.
Eh assim q tem q ser, por mais dificil minha colega de nuvem, eh assim q tem q ser... Embora mtas vzs a gnt deseje de fato a morte literal.
Te adoro.

Angel disse...

Amigo anjo, pois então você já é um especialista, e me entende muito bem. Muitas vezes machuca, dói, faz a gente sangrar por dentro... mas depois que passa, a gente enxerga uma força que nunca imaginava ter...

Gosto tanto de você também, colega de nuvem! Saiba que admiro demais você.

Abraços!

Juliana. disse...

Concordo sim, as vezes é preciso um renascimento ou uma renovação do que sentimentos, faz muito bem!
Um abraço Angel

Angel disse...

Com certeza, Ju! A vida é cheia de ciclos, e precisamos de sabedoria para enxergar quando um termina. Recomeçar é difícil, mas necessário.

Abraços!

karone disse...

Através da Fabi, pude ser contemplado com seus escritos. Para mim eles foram além do lirísmo. Quando o terminei, nasci de novo.

Angel disse...

Karone, obrigada pelas palavras! Eu fico muito feliz em poder compartilhar algumas linhas com outras pessoas, e ainda mais, quando de alguma forma elas tocam aqueles que as leem.

Volte sempre que puder.

Abraços!

Postar um comentário