3 de junho de 2010

Do que eu vejo mim, e em você

Nossa balança tende para um dos lados, desconhecemos o equilíbrio. Não sabemos ser “sim” sem um pouco de “não”, não vivemos certezas, fazemos questão de certa comparação. Nossa consciência não é tão lógica e sente, nosso coração acumulou outra função, ele agora pensa, raciocina, aprendeu a ser razão. Somos cópias mal feitas, mal escritas, mal pintadas, do nosso ideal, e queremos o que o mundo nos nega, exigimos o que as pessoas não dispõem, cobramos de nós as respostas esperando nunca tê-las (porque sabemos, nos fariam sofrer). Não queremos muito, mas o pouco não aceitamos também, então, ou frio ou quente, morno não! E tudo isso é uma contradição, eu sei, mas, o que fazer se não cabemos no óbvio? Somos do tamanho das incertezas, e certezas até viriam a calhar... Até viriam, mas, melhor não.

38 comentários:

Angel in the dark disse...

Somos um pouco do sim, e um pouco do não...

Beijo
Angel

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Esse post foi até duro, eu diria. Mas vai falar que não é daqueles posts pra ler, pensar. Imprimir pra ler mais tarde, pensar sempre.

Tudo o que vc escreveu é uma grande verdade: somos muito diferentes do que "somos".

Bom feriado pra vc, Angel! bjs

[ rod ] ® disse...

Queremos tanto que a definição do querer fica imensa demais para nossos próprios corpos. Atenue as crenças e serás a certeza mais pródiga do dia. Um bj moça!

Pedro disse...

Equilíbrio demais é marasmo. Viver é o impossível, tentar equilibrar a balança.

Vanessa Souza Moraes disse...

A certeza é neurótica.

Metamorfoses disse...

Consigo ver isso em mim também, Angel.
Tenho um certo medo da certeza não me ser favorável...
bj!

Meri Pellens disse...

Nessas alturas da minha vida o que menos tenho é certeza, e desconfio de quem se julga resolvido, definido... Aff... Beijos na alma!

Priscila Rôde disse...

"Não cabemos no óbvio", não cabemos! Nada que conclua, que defina, que normalize as batidas do coração.

Angel disse...

Somos um pouco de tudo, amiga Angel...

Abraço!

Angel disse...

Alexandre, talvez se fóssemos mais "certeza" não haveriam tantas decepções... Mas, também, não haveriam as surpresas boas.

Gostei de suas constatações, meu amigo! E obrigada pelo carinho.

Abraço, e excelente feriado para você também!

Angel disse...

Atenuar as crenças... Gostei disso, Rod!

Abraço, meu caro!

Angel disse...

Pedro, concordo tanto com você! No fundo não queremos o equilíbrio, e se queremos é porque ainda não sabemos como ele é.

Abraço, meu caro! Bom tê-lo aqui.

Angel disse...

Vanessa, além de neurótica é monótona, e incrivelmente chata...

Abraço, flor!

Angel disse...

Fabrizia, entendo você, flor. Há uma certa responsabilidade na certeza, e tê-la é não poder mais ignorar o obvio.

Abraço, minha amiga!

Angel disse...

Meri, acredito que há pessoas que tem lá suas certezas, e vivem bem assim... Mas melhor mesmo é ser incerto, e passar a vida procurando nos encontrar.

Abraço, minha amiga!

Angel disse...

Priscila, concordo! E se depender de mim, vai ser assim pra sempre...

Abraço, flor!

Juliana. disse...

Angel, mais somos seres que queremos sempre mais, já percebeu isso! Não nos contentamos com o que temos e queremos mais, outras vezes queremos o do outro(inveja) isso não é bom!Não somos perfeitos, isso é uma verdade(acho que nem seria bom se fôssemos) mais equilíbrio, "quase" impossível, mais tentamos não é?
Um abraço
Juliana

ONG ALERTA disse...

Se soubessemos o que iria acontecer não precisaríamos viver, paz.
Beijo Lisette

Angel disse...

Verdade, Ju. Somos imperfeitos mesmo, não há como negar. Nos cabe aceitar, ficar entre o "sim" e o "não", e viver nossas incertezas.

Abraço, minha amiga!

Angel disse...

Ou viveríamos com menos entusiasmo, Lisette...

Bom tê-la por aqui! Seja bem vinda, minha cara!

Abraço.

Júlio Castellain disse...

...
Somos tudo e mais um pouco.
Incompreendido.
Bjs.
...

Angel disse...

É o que somos, Júlio. Felizmente, é o que somos.

Abraços, meu amigo-companheiro-de-blog!

Cria disse...

... somos humanos ... Belo, amiga Angel !! Beijo.

IT disse...

Quanto mais me acho, me procuro e não me contento.
Parece que não somos finitos....
Ou, quem sabe Angel!?Somos como a nossa amiga lua(nem inteiros nem minguados.)sorrio

Abraços com admiração a "anja".

Luiz Guilherme disse...

bem seco e sólido..gostei do post...

http://guilg7.blogspot.com/

vlw

Angel disse...

Obrigada, Cria!

Abraço, flor!

Angel disse...

rs... Irlene, gostei muito da comparação! Dias inteiros, dias pelo meio, dias minguados, quase nada... Somos bem isso mesmo!

Abraço, minha cara!

Angel disse...

Luiz, fico feliz que tenha gostado!

Seja bem vindo, meu caro!

Abraço.

Washington Benjamin disse...

Minha amiga excelente post. Eu sempre trabalhei em profundidade este assunto em minha vida, concordo plenamente que vivemos sempre desbalanceados, o desenvolvimento mais harmônico e equilibrado seria ideal. Sou descendente de Judeu e sofro especificamente de disfunção cognitiva, sei que todos a temos em menor ou maior grau. É natural do ser humano buscar as certezas em coisas tão incertas às vezes, o assunto é muito vasto. Acertadamente falo que tudo provem de uma visão distorcida da realidade, cada um tem a sua e qual seria a mais próxima da verdadeira?
"Eu não sei o que eu possa parecer para o mundo; mas para mim eu pareço ter sido apenas como um garoto brincando na praia, e me divertindo de vez em quando encontrando uma pedra arredondada ou uma concha mais bonita que as comuns, enquanto o grande oceano da verdade repousa desconhecido perante mim."
(Isaac Newton)
Bjux

ErikaH Azzevedo disse...

Não somos feitos do reconhecível , somo feitos do indizível...pq nunca somos um só, somos um no meio de muitos e em cada um um mundo a descobrir...

Somos feitos de densidade e amplidão..somos o que é consistente..ou não... faliveis, dicotõmicos...somos humanos, mesmo qdo desumanos tb somos.

Bjos linda!

Erikah

Angel disse...

Washington, gostei demais do seu comentário! Foram considerações muito pertinentes e interessantes. Acredito que nosso desenvolvimento é desbalanceado porque temos diferentes necessidades também, não só físicas como espirituais, psiquicas. É certo que muitas vezes nos dedicamos a um dos lados da balança que talvez não seja o mais importante, e que podereia e deveria ser deixado de lado em nome de outro, mas, como você tão bem disse, cada um enxerga uma realidade e a trabalha como lhe convém.

Obrigada pela contribuição, meu amigo!

Abraço.

Angel disse...

ErikaH, minha flor, somos um pouco de tudo, e como se ainda não bastasse, ainda mudaços, absorvemos e abandonamos muitas coisas com o passar do tempo... Quanta complexidade!

Abraço, minha amiga!

Viviane Zion disse...

Ufa! Fiquei sem fôlego agora que acabei de ler.
Quanta complexidade em tão poucas palavras! Nem concordo nem discordo - fiquei pensando...

É isso... aqui pensando...

Shalom.

Angel disse...

rs... Ótimo também, Zion! Depois volta aqui e me fala o resultado dos pensamentos!

Abraço, minha amiga!

Desabafando disse...

Somos sim feitos de incertezas. Quem consegue ter certeza de alguma coisa não?

Angel disse...

As certezas, quando existem, duram pouquíssimo tempo...

Abraço, flor!

Lilian disse...

Ola Angel!!!

O que comentar? ...Se geralmente é assim que acontece o tal do relacionamento,sem equilibrios...Qnd equilibrado fica sem graça,tudo que é certo fica sem razões, e comparações sempre existem,mas as respostas sempre são as mesmas: Nw devia mas queremos continuar!

As incertezas é que apesar de doer tem o gostinho de intensidade.

E nw adianta seguir outro caminho cambaleando em busca de um cheiro igual,de um olhar parecido,de uma voz que lembre, enfim...melhor aguentar e deixar como esta, ir vivendo esse amor de metade,mas que enquanto esta contigo,é seu...todo seu!!!

Angel disse...

Lilian, a gente bem sofre com as diferenças, com os desequilíbrios, mas, são exatamente elas/eles os responsáveis pelos melhores momentos, as descobertas boas, as surpresas... Talvez, o desequilíbrio é que equilibre... rs.

Abraço, flor!

Postar um comentário