4 de setembro de 2011

Só porque eu precisava dizer...

Quando decidi sair de Goiânia na esperança de que as coisas se ajeitassem, ouvi de alguém a seguinte frase: o problema não está onde você mora, o problema está dentro de você.
E então eu senti um medo enorme de dar um passo tão importante e, só depois, descobrir que era verdade o que me foi dito. Foi a primeira vez na vida que eu tive medo de mudar e enfrentar o desconhecido. Porque sabe aquela história de que nada é tão ruim que não possa ficar pior? Pois é. Mas, ao contrário disso, São Paulo foi generosa, e apesar de instável e tantas vezes mau humorada, me recebeu com um carinho que Goiânia já não me dedicava mais. Ainda tenho muito a descobrir aqui, ainda faltam pessoas, lugares, ainda me falta uma parte que só o tempo poderá me dar. E eu resumo essa certeza quando vou até a sacada do meu apartamento com uma xícara de café, sinto o vento frio em meu rosto e me sento para observar as tantas luzes que enfeitam a cidade que me acolheu. Essa cidade agora é minha, e eu não tenho dúvidas de que estou exatamente onde deveria estar.


Say - John Mayer

6 comentários:

Anthony Dostoiévski disse...

Sampa é uma crônica viva ne? As antigas fábricas, as padarias com balcões de madeira, os barzinhos no meio da rua e ao lado de uma igreja barroca...

quando fui em sampa a primeira vez, me senti com medo, pois era somente eu ali para decidir meus passos, mas depois a gente se acostuma...
não vivo em sampa, mas não importa o lugar onde moramos, o importante é fazermos dele o nosso lugar...

braço e bom texto
http://acasaeorestodarua.blogspot.com/

Emilly McRose disse...

Não sabia que você era de Gym, pertin aqui de mim em Palmas-To hehe mas agora tá longe, em Sampa.
Não conheço SP mas sou louca pro conhecer, tenho certeza que você vai aproveitar esse mundo novo, porque de fato, São Paulo é todo um mundo novo.

Fico feliz por você estar gostando. Como sempre, adorando o blog.
bjim =)

Rafael Castellar das Neves disse...

Essa é realmente uma ótima sensação....também vim para cá e gosto muito daqui...apesar de todos os pesares...isso aqui é bom!

Quanto ao que te falaram, acho que não estavam errados, mas que estas coisas dentro de nós precisam de outras coisas (fora) para que sejam realmente vistas como são...

Aqui, São Paulo, é amar ou odiar. Não há meio termo...e, pelo que vejo, sua escolha já foi feita...agora é se encontrar no meio de tudo isso e aproveitar cada vez mais...

E que venha o cachorrinho...rs

[]s

Bryan Kormann disse...

Tudo é, e sempre será teu, na proporção em que você sente o que, aquilo que está ao seu redor, manda pra você. São Paulo é pequena perto do que você pode ter, mas nem sempre ter tudo é suficiente; nem sempre a quantidade satisfaz. Cada coisinha tem seu valor. Mas para cada coisinha, a gente; e quando digo “a gente”, me refiro a seres humanos, pobres, ricos, sonhadores e descrentes, tem que estar disposto a aceitar o lado mal humorado. A poesia nem sempre termina bonita ou alegre, mas você se entrega ao escrevê-la, por que você é poeta, e decidiu ser assim. Algo nisso te satisfaz, estou certo? Agora me pergunto, você está pronta para ter as suas coisinhas? Não deve esquecer também que se amadurecer demais, passou do tempo e você perde a oportunidade. Tudo acontece na hora de acontecer. Por isso e tanto mais você está aí, exatamente onde está. Sente-se, tome seu café e olhe o tempo passar. Tantas outras coisinhas estão chegando pra você, tenho certeza. Você merece!

Danilo MM disse...

Nasce algo desse concreto que eu mesmo não entendo, uma raiz, embora toda efemeridade regada todos os dias.

leonel disse...

sempre disse que teu lugar era em sp.

Postar um comentário