11 de setembro de 2010

Do quanto eu te amei

Eu te amei por algumas horas, talvez dias ou semanas, não sei precisar quanto durou. Eu te amei no momento exato em que você confessou o sentimento, amei a possibilidade de estar ao seu lado e viver a intensidade que é você, amei como se não houvesse outra coisa, outra chance, amei urgente, como todo amor deve ser. Mas, tão rápido quanto te amei, eu desamei. Desamei a ausência tua naquela noite que esperei e você não veio, desamei a frieza com que me olhou quando te busquei, desamei quando ignorou meu sorriso e ao perceber que eu era apenas mais uma na tua imensa lista de apegos. O amor não leva tempo, não exige conhecer o outro, saber de onde veio e o que planeja fazer. O amor é coisa de minuto, é a palavra certa no momento exato, o carinho na dose perfeita, a intenção se tornando ato como se nada mais merecesse ser. E foi exatamente por isso que te amei. Mas, o amor é exigente, cobra atenção, exige ser mais que uns segundos roubados, quando e se possível for. Amei e desamei por culpa e mérito seu. E agora confesso que, por mim, ainda seria amor, mas, como o sentimento sobrevive aos pares, aceito, e retribuo, o seu adeus.


Black - Pearl Jam

32 comentários:

Flavio Dutra disse...

Amor... não consegue ser um sentimento de mão unica. Tem que haver retorno, ,ou morre de solidão!

IT disse...

...É inexplicável!
Toda pessoa que ama, é ilógica, se entrega mesmo sem ser correspondida.

Amou e desamou do tanto que amou, de tanto amor...BeijITos!

Metamorfoses disse...

Ai que lindo! Bom acordar e ler algo tão intenso, ajuda a encarar o domingo.rs! Sorte que amor é sentimento inacabável!beijo!

***MissUniversoPróprio*** disse...

Quiçá o melhor texto que li nos últimos tempos. Sem exagero: perfeito.

Abraço,

Miss

O gerente disse...

Amor urgente é paixão. Esquenta para depois esfriar com o sopro dos desencontros. E é belo mesmo assim. Mas, ops.. não faltou o P.S. lá no fim do texto de novo? rs

beijos!

Desabafando disse...

Ah, que triste o adeus de um amor!

Moni. disse...

Extremamente maduro, o teu pensar, Angel...
É isso mesmo. Sentimento ímpar nap vinga, não dá frutos.

Adorei te ler!

Beijos e ótima semana!

Moni

Mary disse...

Estou vivendo um amor assim.. pôxa como é sofrido.. quero sair dessa.. Obrigada pelo comentario no meu blog.. bjs

Leo disse...

Maduro e consciênte. o amor exige troca, exige cuidados e cultivos, se não dá fruto é melhor que corte o ramo antes que afete toda a arvore.

Te beijo. Te saro.

Marcelo Mayer disse...

poetas não dizem adeus

Angel disse...

Flavio, você disse bem. E este, do post, parece ter padecido exatamente desse mal.

Abraço!

Angel disse...

Irlene, nunca vi lógica nenhuma no amor, e sinceramente, espero nunca ver.

É sempre bom tê-la por aqui, minha cara!

Abraço.

Angel disse...

Fabrízia, minha amiga querida, você sempre me deixando feliz com seu carinho... :)

Verdade, flor, o amor não acaba, no máximo adormece, e se transforma.

Abraço!

Angel disse...

Miss, que felicidade ler isso! Obrigada.

Seja bem vinda a minha nuvem.

Abraço!

Angel disse...

Gerente, o texto inteiro é um P.S.... rs.

Abraço!

Angel disse...

Flor, ele vai, mas volta. Certo ou tarde, volta.

Abraço!

Angel disse...

Moni, obrigada! Com o tempo aprendi exatamente isto que você tão bem sintetizou, que o amor sozinho pode até ser poético, render belos textos e poemas, mas, não sobrevive a realidade. Só se for aos pares, se tiver em quem se apoiar, quem buscar, precisa de cuidados, é dos mais carentes talvez.

Bom tê-la por aqui!

Abraço.

Angel disse...

Mary, vai sair sim, sabia?! Vai porque você merece alguém caminhando ao seu lado. O tempo cura (não só ele... mas, no fim, há a cura).

Abraço!

P.S.: É sempre ótimo ir ao seu blog.

Angel disse...

Leo, que saudades, meu amigo! Concordo com você, melhor cortar o mal pela raiz antes que contamine todo o resto. As vezes nos iludimos na esperança de medicar, de curar o que está doente, ou simplesmente fazer nascer o bom onde nada existe. Impossível.

Abraço!

Angel disse...

Mayer, talvez digam quando a inspiração vai embora... Não?

Abraço.

afonso rocha disse...

Já sofri desse mal...
Voltou.
Mas continuei a olhar para uma só mão. A dela...
E disse adeus...
Por isso...vou olhando para as minhas duas...até que me canse...

agora...vou me apaixonando pela Vida...pelos meus quadros...esculturas...e escritos...
porque o Amor sobrevive sempre...embora às vezes não o aceitemos....mas ele está sempre dentro de nós.

Beijo Angel

Marcelo Mayer disse...

não, dizem adeus pq sabem que não vão estar juntos. distância ferra qualquer verso. deixa qualquer rima sem graça

Juliana. disse...

Minha amiga, sem palavras para falar do seu texto, você descreveu tudo que eu vivi, mais o adeus foi dado por mim, mesmo que algum sentimento permanecesse..eu desamei! Muito e muito eu precisava ler este texto lindo teu! Um abraço grande, saudadess!!

Angel disse...

Afonso, você faz muito bem. Estranhamente, somos mais felizes quando aprendemos a ser sozinhos, quando somos nossa melhor cia. E este amor-amante talvez nunca morra, talvez entre em latência, adormeça, e fique lá esperando a hora certa de voltar.

Feliz em tê-lo aqui!

Abraço.

Angel disse...

Concordo, Mayer... Ah, se concordo!

Abraço.

Angel disse...

Ju, isso acontece mesmo... Tantos amores e desamores, alguns mais intensos e verdadeiros, outros superficiais... Fiquei feliz que meu texto tenha te feito bem, minha amiga! Estava com saudades de você, viu?

Abraço apertando!

Angel in the dark disse...

Um adeus singelo, simples e perfeito nas palavras!...
Beijos!

PR" disse...

Está fantástico, o texto! :)

Angel disse...

Obrigada, amiga Angel! Tão doloroso dizer adeus... Queria que nunca fosse necessário.

Abraço!

Angel disse...

PR", obrigada!

Abraço, minha cara!

Erica Vittorazzi disse...

Que texto lindo, perfeito!!!


O amor é exigente mesmo, adora mimos.


beijos

Angel disse...

Obrigada, Erica!

De todos o mais exigente, isso é fato.

Abraço, minha amiga!

Postar um comentário