29 de julho de 2011

A culpa

Eu sei que um dia vou rir disso tudo, mas, por hora, só consigo odiar a mensagem não respondida e a foto daquela moça que você insiste em dizer que é um acaso. É horrível perceber que nossa distância não é apenas física e que ela é do tamanho das nossas diferenças e infantilidades. Mas, não começamos bem, lembra-se? E naquele momento eu já devia saber que seríamos um fracasso, afinal, discordar sobre Deus ou sobre futebol faz parte da vida, mas discordar sobre ambos deve ser encarado como um prenúncio de que dias difíceis virão. E não me culpe por traçar teorias e querer racionalizar o que temos (ou não temos), por tentar explicar o porque de nunca darmos certo. Não me culpe porque se tem alguém inocente nisso tudo sou eu, e talvez até você. Então, de quem é a culpa? É de Deus, por não nos ser coerente, e do futebol, por não me ser tão importante...


You know I'm no good - Amy Winehouse

4 comentários:

Edu Lazaro disse...

Ao final do último capítulo cada um que vai prum lado leva consigo a meia fração de um inteiro descaso com o sucesso do casal. Abraços!

Suzana Martins disse...

Então, eu percebo que discordar é apenas uma teoria. Quem sabe assim, eu agora deixe o telefone desligado, ou mande uma mensagem pedindo um recomeço...

Ah... Maldito ponto final! rs

Beijos linda!!^^

Danilo MM disse...

A culpa vive sozinha, vive com ela quem quer.

As vezes simplesmente não existe nós.

Rafael Castellar das Neves disse...

Excelente!!

Como diz uma amiga minha: se a culpa é minha eu dou ela para quem eu quiser!

[]s

Postar um comentário